Está confirmada a vinda do Lama Chimed Rigdzin a Fortaleza na primeira semana de setembro de 2018.

Eis a programação preliminar:

Dia 05 de setembro, às 9h 

Palestra aberta ao públicoA arte de manter a serenidade e paz de espírito em tempos de violência”

Local – Auditório da Faculdade de Educação da UFC, Rua Waldery Uchôa, 1, Benfica, Fortaleza-CE.

Evento em parceria com o programa CASA (Comunidade de Cooperação e Aprendizagem Significativa) da Coordenadoria de Formação Docente da Universidade Federal do Ceará.

Entrada franca

Dia 05 de setembro, às 19h

Palestra aberta ao público “Como lidar com as emoções aflitivas sob a ótica da psicologia budista”

Local – Auditório da Unidade Via Corpvs, Centro Universitário Estácio-FIC, R. Eliseu Uchôa Beco, 600 – Água Fria, Fortaleza – CE.

Entrada franca

Dia 06 de setembro, às 20h

Palestra aberta ao público – “Como se preparar para o momento da própria morte e da morte de terceiro na perspectiva do Budismo Tibetano”.”

Local – Grupo Espírita Paz e Bem, Mezanino da Torre Quixadá, Av. Barão de Studart, 2360, Fortaleza-CE.

Entrada franca

 

Dias 07, 08 e 09 de setembro

Retiro de meditação – Liberando-se do sofrimento e preparando-se para a morte

Horário – das 09 às 12h e das 14h às 17h (dias 07 e 08) e das 09h às 12h (dia 09 de setembro), com intervalos para café

Local – Centro de Budismo Tibetano Shiwa Gonpa Guru Ling, Rua Cel Linhares, 452, Meireles, Fortaleza-CE.

Valor da inscrição –

R$ 250,00

Mais informações e inscrições 85 – 999361337 ou guruling13@gmail.com, vagas limitadas.

Possa tudo ser auspicioso!

More »

Compartilhe isto
 Lama Chimed

Lama Chimed

Lama Chimed Rigdzin estabilizou a sua atividade no Brasil a partir de 2009, com a fundação do Shiwa Gonpa Dorje Chokhor Ling, nas montanhas de Visconde de Mauá, no estado do Rio de Janeiro.

Um grupo incipiente de alunos em Fortaleza-CE teve a dádiva de entrar em contato com suas atividades neste início e, movidos pela motivação de dar aos seres a oportunidade de praticar o Budismo Tibetano em sua forma tradicional, requisitou ao Lama a estabilização de um centro próprio vinculado às suas atividades.

Leia mais

 

Compartilhe isto
Gesar 2
Nos bastidores com o Tharbi (atendente de tio Thodrug), dakinis e tio Thodrug
Gesar 11
Tharbi anuncia à cidade de Ling que o tio Thodrug teve um sonho com Hayagriwa e que uma assembleia deveria ser convocada
Gesar 6
Sinais auspiciosos no momento em que Tharbi convocava a assembleia dos altos dignatários da cidade de Ling.
Gesar 12
Generais, o primeiro-ministro Chipon e Thodrug cavalgam rumo à assembleia convocada por Tharbi
gesar 14
A comitiva chega à Ling e toma os seus assentos
Gesar 1
Tio Thodrug orgulhosamente narra o sonho com Hayagriwa em que este pondera ser o momento de Ling tornar-se gloriosa após a ascensão ao trono do vencedor de uma corrida de cavalos.
Gesar 4
Generais de Ling discutem como deverá ser realizada a corrida de cavalos
Gesar 5
Tharbi (Lama Chimed Rigdzin) com katak, durante a assembleia de Ling
gesar 16
A jovem Drummo apresenta os cavaleiros de Ling
gesar 15
Tio Thodrug conta belas histórias para distrair o Djori e favorecer o seu filho Nyatsa na corrida de cavalos
Gesar 8
Djori encontra o corcunda Kuru e dele recebe a sua flecha de tesouro após salvá-lo da areia movediça.
Gesar 10
Gesar casa-se com Drummo (à esquerda dele), na presença de sua mãe.
gesar 18
As moças mais preciosas de Ling, emanações de dakinis, fazem oferenda de música e dança ao novo rei.
gesar 19
Dakinis fazem oferendas ao rei Gesar de Ling
gesar 20
Todos os atores e atrizes reunidos! Alegria! Vida longa ao Lama Chimed Rigdzin!
Compartilhe isto

Sobre esta prática de Tara Verde “A Óctupla Essência Profunda – Um ritual conciso da mandala de Tara, oriundo do tesouro da expansão do céu do dharmata”, um Tesouro de Dudjom Lingpa.

Nota do Lama Chimed – Esta é uma sadhana muito importante nos Tempos de Degeneração que hoje vivemos. É um tesouro de Dudjom Lingpa direcionado especialmente àqueles que vivem em locais remotos, sem as condições completas necessárias para o Dharma. Fazemos esta prática no Shiwa Gonpa Guru Ling todos os fins de semana, pois é prática que traz muito alento aos seres durante este século XXI. É importante rogarmos pela compaixão da nobre Tara! Para isso, usamos a prece “DJE TSUN PHAG MA DROL MA KHYEN KYEN NO / DJIG DANG DUG NGAL KUN LE KYAB DU SOL”. Recitamo-la a todo o tempo, e assim colocamo-nos, e a todos os seres, sob a constante proteção da nobre Arya Tara. Ela, em sua infinita força e sabedoria, protege a todos contra os oito medos e impede a negatividade de se manifestar. :..

As sadhanas para a prática estão disponíveis no Shiwa Gonpa Guru Ling. Aberto ao público. Visitantes são bem-vindos.

Local da prática – Shiwa Gonpa Guru Ling, Rua Coronel Linhares, n. 452, Meireles, Fortaleza-CE.

Quando? – Aos sábados, a partir das 19h

Compartilhe isto

Compartilhe isto

Palestra gratuita: Como as emoções influenciam o corpo físico: o desenvolvimento de doenças e o caminho para a cura de acordo com a Medicina Tibetana.

Data – Dia 29 de março de 2018, às 19h.

Local –  Auditório Brasil Tufik, Rua napoleão de Barros, 925, Vila Mariana, São Paulo.

Retiro de prática e meditação no Buda da Medicina 

Data – Dia 30, 31 de março e 1º de abril de 2018, das 10h às 16h 30min, com intervalo para o almoço.

Local – Rua Vergueiro, 3365 – Vila Mariana

Inscrições e informações – (19) 99656 5952/ (11) 99476 3107,  psttl10@gmail.com ou no local do evento para a palestra. No tocante ao retiro, a inscrição deve ser efetivada necessariamente com antecedência por meio dos canais acima. Vagas limitadas!

Palestra em inglês com tradução simultânea

More »

Compartilhe isto

Cerimônias do Ano Novo Tradicional Tibetano – Losar:

  • Terça-Feira, 13 de fevereiro de 2018. Início às 10h
  • Dança Sagrada de Gesar de Ling: representação tradicional do épico do Rei Gesar

VEJA O VÍDEO DA PERFORMANCE DA DANÇA SAGRADA DE GESAR, EM 2017, NO CANAL DO YOUTUBE!

Aberto ao público. Não cobramos taxa para assistir a Dança Sagrada.

O Gonpa pode fornecer almoço a quem se interessar em passar o dia, mediante reserva antecipada. Aceitamos reserva para almoço até dia 08 de fevereiro. A reserva é efetivada mediante depósito de R$30/pessoa, referente ao almoço.

Mais informações, contato e reserva: psttl10@gmail.com

Compartilhe isto

Retiro e Cerimônia d’O Brilho Incandescente de Sabedoria, Fevereiro 2018

No feriado do Carnaval, no Shiwa Gonpa Dorje Chokhor Ling acontece o Drubchod anual de Yeshe Rabar, o Brilho Incandescente de Sabedoria.  Lama Chimed Rigdzin é o Mestre Vajra.

Yeshe Rabar é uma manifestação do próprio Guru Rinpoche, uma exibição de amor e compaixão imensuráveis em uma forma irada. Sua atividade principal e mais poderosa é subjugar e conquistar os reis-demônio. Isso também significa remover os obstáculos ao caminho do Vajrayana. A consumação de Yeshe Rabar traz a realização do próprio estado natural, que é não outro que o estado de Guru Rinpoche.

Esta é uma das práticas principais mantidas no Kathog Gonpa, que é o monastério Mãe de toda a escola Nyingma. “Yeshe Rabar, o Brilho Incandescente de Sabedoria” é também o tesouro mais importante do Dzogchen Master Kathog Rigdzin Longsal Nyingpo.

Quando: 10 a 13 de fevereiro de 2018
Onde: Shiwa Gonpa Dorje Chokhor Ling, em Visconde de Maua, Brasil. 

Mais informações e inscrições.

Compartilhe isto

Podemos entender nossa experiência como sendo dividida em três ambientes: externo, interno e secreto. O ambiente externo é tudo o que é percebido além de  você mesmo, e pode, portanto, te desagradar ou machucar. Ambiente interno são as emoções aflitivas, que são como fogo e fumaça turbilhonando em nosso corpo como um tornado. Ambiente secreto são os nossos pensamentos, de onde surgem os conceitos. Desde tempos sem princípio até o momento presente, a agitação dos pensamentos e das emoções vem se acumulando e aumentando. Como um rolo de papel, que sempre volta a se enrolar apesar de nossas tentativas para desenrolá-lo, nossos hábitos persistem. Não há sentido em criar o próprio sofrimento. Para promover a paz e a harmonia, assim como encontrar a própria mente iluminada: eis os propósitos para se praticar a meditação.

Por Lama Chimed Rigdzin,  fundador e guia espiritual no Shiwa Gonpa Dorje Chokhor Ling.

Os encontros para prática e meditação são abertos a todos. Não há pré-requisitos ou custos para a participação. Todos são bem vindos.

Todos os sábados, às 19h

Rua Coronel Linhares, 452, Meireles, Fortaleza-CE

Para mais informações: Whatsapp a 85 999361337 ou por e-mail  guruling.fortaleza@gmail.com

 

Compartilhe isto

Lama khyeno, Lama Khyeno, Lama Khyeno

Hoje, 25º dia (dia da Dakini) do 11º mês do ano do galo de fogo, do calendário lunar tibetano, bem cedo pela manhã, partiu um dos membros de nossa família: o cão do Lama Chimed, chamado Norbu, a quem toda a Sangha amava muito, pois era um cão muito dócil e amável.

Da forma tradicional no Budismo Tibetano quando da prática de Phowa para um falecido, como um teste para a efetividade da prática, coloca-se manteiga na coroa da cabeça do falecido. Lama Chimed e Rogério colocaram, assim, um pedaço de manteiga na coroa da cabeça do Norbu.

Lama e Rogério foram, então, para o Templo. Rogerio acendeu 50 lamparinas e Lama Chimed fez a prática de Phowa. Depois disso, Lama fez também a prática de Akshobhya. Nessa hora, Rogerio trouxe o bumpa até onde estava o corpo do Norbu, na varanda da casa do Lama, para purificar seu corpo com a água do bumpa. Ele então viu que toda a manteiga que tinha colocado na coroa da cabeça do Norbu havia desaparecido, e o pêlo dele nem mesmo oleoso estava. Quando Rogerio contou isso ao Lama Chimed, Lama ficou muito feliz, pois é um excelente sinal de Phowa bem sucedido.

Depois de finalizados os pujas, saíram do templo e o céu estava ornamentado com arco-iris e tigles, bem como com nuvens em um arranjo muito auspicioso chamado “tren dja”, que se trata de nuvens entremeadas por arco-íris, que preencheram o céu.

Também foram oferecidas em benefício do Norbu lamparinas em Lhasa Jokang e uma demão de tinta dourada no rosto do Jowong, Buddha Shakyamuni.
Nosso agradecimento ao Rogerio, que, ano passado, nesta mesma época, estava atuando como “babá” do Norbu, e agora estava por perto para dar suporte e partilhar com Lama Chimed as atividades deste momento da partida do Norbu.

No Budismo, acreditamos em conexão cármica. Tudo o que aconteceu demonstra que Rogerio tem amor verdadeiro pelo Norbu.

Possa o mérito desta prática liberar ao Norbu e a todos os animais ao estado búdico.

Compartilhe isto

Parinirvana de um grande mestre

Khenchen teaching at Kathog’s university new building.

No dia 14 de julho de 2017, Khenchen Sodnam Tenpa passou ao Parinirvana. Ele era o principal tutor na universidade de Kathog, e tio mais novo do Lama Chimed. Nos dias que antecederam ao parinirvana, ele deixou orientações em Kathog aos seus discípulos khenpos e tulkus, e deixou avisado que entraria em retiro. Voltou então à sua casa de retiros no vale de Nyag Rong, na região natal do Lama Chimed.

Estando na sua casa, no topo da montanha, ele pediu à sua atendente, filha de Tsopu Dorlo Rinpoche, que entrasse em contato com Khenpo Tsering Gyatso, primo em primeiro grau do Lama Chimed, e três outros Khenpos e Lamas, para que viessem consertar o seu tanque de água.  Enquanto eles não chegavam, ele, em conversas informais com ela, deixou diversos sinais que depois seriam importantes.

Quando chegaram as quatro pessoas cuja presença ele havia solicitado, instalaram-se em uma tenda perto da casa de retiro dele. No dia seguinte, foi o seu parinirvana. Ao perceberem, nenhum deles sabia o que fazer e perguntaram-se uns aos outros se algum deles teria recebido as instruções. Conversaram com sua atendente, que tampouco teria recebido instruções para o momento. Sendo assim, decidiram inicialmente cobri-lo com seu zen amarelo, pois é a tradição vestir o Lama com o seu zen de uso. Ao abrirem o zen amarelo para cobri-lo, encontraram ali textos manuscritos por ele com as instruções que ele deixou sobre como conduzir em relação ao seu parinirvana, bem como seus últimos conselhos aos seus discípulos.

Instruções e conselhos

Uma das instruções foi tornar públicos aqueles conselhos, pois seriam de grande benefício a todos. Tais conselhos já estão disponíveis no alfabeto Sambhota e também em chinês, ambos disponíveis aqui no site. Quando possível, disponibilizaremos também a tradução ao inglês, espanhol e português.

Sobre seu parinirvana, ele deixou escrito que não retornaria como tulku, instruiu a não fazer qualquer cerimônia específica ao seu parinirvana, não fazer qualquer oferenda para esse propósito, nem mesmo de uma lamparina. Que deveria haver uma cremação simples, como a de uma pessoa comum, no meio da noite, depois de quatro dias, e que ninguém fosse avisado de seu parinirvana até que os 49 dias tivessem passado. Todos os seus pertences, incluindo as suas sadhanas, deveriam ser cremados juntamente com seu kundun. Todo e qualquer que transgredisse as orientações quebraria o samaya com ele.

Sinais muito especiais

Durante a cremação, houve a aparição no céu de arco-íris na forma dos implementos dos Buddhas das cinco famílias, um de cada vez, um transformando-se no outro. Os que estavam presentes disseram ter sido inédito. Depois da cremação, muitas relíquias de seus ossos foram encontradas na forma de muitos itens do Dharma. Tal fenômeno é comum quando da cremação de mestres do budismo tibetano. Ele deixou também a instrução que nenhuma dessas relíquias fosse preservada ou usada para qualquer propósito, mas que todos os restos da cremação, até as cinzas, fosse colocado no rio MeiChe. Isso significa que nenhum pertence nem nenhuma relíquia de Khenchen Sodnam Tenpa foi deixado para trás na ocasião do parinirvana. Todo aquele que alegar ter um desses, estaria mentindo – essas foram as instruções deixadas.

Lama Chimed Rigdzin tem alguns presentes dados por Khenchen nas suas visitas ao Tibet em 2004 e 2007, e se alegra com isso. Pois nem mesmo ele, seu sobrinho mais velho, foi avisado do parinirvana antes do fim do prazo. Khenpo Tsering Gyatso entrou em contato no fim, avisando do ocorrido e se desculpando por não ter avisado antes, pois não podia faze-lo devido às instruções deixadas por Khenchen. Ele precisava manter o samaya com seu Guru. Khenpo Ngawang tamém não foi avisado, e depois, quando soube, agradeceu muito a todos por terem mantido a Guru Yoga; que todos deveriam continuar agindo daquela forma.

Um pouco sobre a vida de Khenchen

Khenchen Sodnam Tenpa tinha votos, desde a idade de 20 anos aproximadamente, de abrir mão da vida familiar. Milarepa, Djalu Dorje, entre outros, tinham esta mesma conduta.

Khenchen's first house

 

Nesta pequena cabana, ele viveu durante os sete primeiros anos. Alguns familiares, preocupados com a sua condição de saúde, solicitaram que ele se mudasse dali

Khenchen's second retreat house

 

Esses familiares então ofereceram uma nova casa, com cozinha além do quarto para meditação. Nesta nova casa, ele viveu até ir para Kathog.

 

Alguns anos após o parinirvana de Khenchen Tsultrim Tarchin, irmão de Khenchen Sodnam Tenpa e tio mais velho e Guru do Lama Chimed, que tinha a função de principal tutor em Kathog, Khenchen Sodnam Tenpa recebeu o convite de Kathog para assumir essa função. E esse convite foi feito de maneira bastante inusitada: sabendo que Khenchen Sodnam Tenpa era muito arisco e não afeito à vida em comunidade, mestres de Kathog foram até a casa dele no meio da noite e montaram acampamento ali para que pudessem fazer a ele o convite pela manhã, sem que ele pudesse se esquivar! Assim, na manhã seguinte, fizeram oferendas de katags e colocaram que, se ele não aceitasse o convite, a universidade de Kathog seria fechada. Assim, nessa casa que vemos ao lado, ele viveu por aproximadamente 30 anos.

 

Quando ele decidiu finalizar suas atividades nesta vida, deixou instruções pessoais para as centenas de khenpos na Universidade de Kathog acerca da manutenção da linhagem.

 

 

Tendo deixado essas instruções, retornou para a sua velha casa no vale de Nyag Rong. Alguns meses após esse retorno, passou ao parinirvana

 

Conselhos para um praticante do Dharma último

Nas imagens abaixo, os conselhos manuscritos deixados por Khen Rinpoche e já disponibilizados no alfabeto Sambhota.

  

  

  

 

E aqui estão as imagens dos textos dos conselhos manuscritos originais de Khen Rinpoche encontrados no seu zen amarelo:

 

 

 

Algumas Imagens do Naljorpa Kathog Khenchen Sodnam Tenpa

           

       

 

       

Fonte – www.shiwagonpa.org

Compartilhe isto

Lama Chimed Rigdzin
Lama Chimed Rigdzin

Os centros de Budismo são vegetarianos. Por este motivo, o Shiwa Gonpa Dorje Chokhor Ling também o é.

O motivo para não se alimentar de carne nos centros budistas é que os seres de sabedoria, repletos de amor e compaixão por todos os seres, se aterrorizam ao ver seus próprios filhos e filhas sendo servidos como comida. Sendo assim, esses seres de sabedoria não se dissolvem no templo nem na mandala, mas, sim, se afastam. Em breve, mais explicações.
Além da abstenção da carne, os centros de budismo devem fazer observar os cinco votos raiz concedidos pelo próprio Buddha, que consistem em abster-se de: matar, roubar, mentir, ingerir álcool e ter relações sexuais.
O segundo Buddha, Guru Rinpoche, que difundiu o Vajrayana no reino humano, disse sobre o consumo de álcool: “o praticante do Vajrayana que tiver o mesmo poder de emanar-se que eu tenho pode consumir o álcool; poderá consumir 500 litros de álcool de uma só vez.” Este é o motivo porque o consumo de álcool não é permitido no Dorje Chokhor Ling. Mais em breve.
Uma causa de grande carma negativo e que, portanto, deve ser evitado, é o consumo de tabaco, que traz muito dano à movimentação da consciência na hora da morte. Este é o motivo porque o uso cigarrro e similares não é permitido no Dorje Chokhor Ling. Mais em breve.

Lama Chimed Rigdzin  entrou em retiro em 29 de abril de 2017. Durante esse tempo, apenas seus discípulos poderão contactá-lo. Possam todos se beneficiar.
Em dezembro, Lama encerra seu retiro pessoal para conduzir o Drubchod da Dakini Troma Nagmo.
Veja abaixo todas as atividades programadas: ensinamentos, retiros, etc.
Tashi delek!

Compartilhe isto

Fonte: Dança Sagrada de Gesar no Ano Novo Tibetano, Losar, em 2018

Compartilhe isto