Parinirvana de um grande mestre

Khenchen teaching at Kathog’s university new building.

No dia 14 de julho de 2017, Khenchen Sodnam Tenpa passou ao Parinirvana. Ele era o principal tutor na universidade de Kathog, e tio mais novo do Lama Chimed. Nos dias que antecederam ao parinirvana, ele deixou orientações em Kathog aos seus discípulos khenpos e tulkus, e deixou avisado que entraria em retiro. Voltou então à sua casa de retiros no vale de Nyag Rong, na região natal do Lama Chimed.

Estando na sua casa, no topo da montanha, ele pediu à sua atendente, filha de Tsopu Dorlo Rinpoche, que entrasse em contato com Khenpo Tsering Gyatso, primo em primeiro grau do Lama Chimed, e três outros Khenpos e Lamas, para que viessem consertar o seu tanque de água.  Enquanto eles não chegavam, ele, em conversas informais com ela, deixou diversos sinais que depois seriam importantes.

Quando chegaram as quatro pessoas cuja presença ele havia solicitado, instalaram-se em uma tenda perto da casa de retiro dele. No dia seguinte, foi o seu parinirvana. Ao perceberem, nenhum deles sabia o que fazer e perguntaram-se uns aos outros se algum deles teria recebido as instruções. Conversaram com sua atendente, que tampouco teria recebido instruções para o momento. Sendo assim, decidiram inicialmente cobri-lo com seu zen amarelo, pois é a tradição vestir o Lama com o seu zen de uso. Ao abrirem o zen amarelo para cobri-lo, encontraram ali textos manuscritos por ele com as instruções que ele deixou sobre como conduzir em relação ao seu parinirvana, bem como seus últimos conselhos aos seus discípulos.

Instruções e conselhos

Uma das instruções foi tornar públicos aqueles conselhos, pois seriam de grande benefício a todos. Tais conselhos já estão disponíveis no alfabeto Sambhota e também em chinês, ambos disponíveis aqui no site. Quando possível, disponibilizaremos também a tradução ao inglês, espanhol e português.

Sobre seu parinirvana, ele deixou escrito que não retornaria como tulku, instruiu a não fazer qualquer cerimônia específica ao seu parinirvana, não fazer qualquer oferenda para esse propósito, nem mesmo de uma lamparina. Que deveria haver uma cremação simples, como a de uma pessoa comum, no meio da noite, depois de quatro dias, e que ninguém fosse avisado de seu parinirvana até que os 49 dias tivessem passado. Todos os seus pertences, incluindo as suas sadhanas, deveriam ser cremados juntamente com seu kundun. Todo e qualquer que transgredisse as orientações quebraria o samaya com ele.

Sinais muito especiais

Durante a cremação, houve a aparição no céu de arco-íris na forma dos implementos dos Buddhas das cinco famílias, um de cada vez, um transformando-se no outro. Os que estavam presentes disseram ter sido inédito. Depois da cremação, muitas relíquias de seus ossos foram encontradas na forma de muitos itens do Dharma. Tal fenômeno é comum quando da cremação de mestres do budismo tibetano. Ele deixou também a instrução que nenhuma dessas relíquias fosse preservada ou usada para qualquer propósito, mas que todos os restos da cremação, até as cinzas, fosse colocado no rio MeiChe. Isso significa que nenhum pertence nem nenhuma relíquia de Khenchen Sodnam Tenpa foi deixado para trás na ocasião do parinirvana. Todo aquele que alegar ter um desses, estaria mentindo – essas foram as instruções deixadas.

Lama Chimed Rigdzin tem alguns presentes dados por Khenchen nas suas visitas ao Tibet em 2004 e 2007, e se alegra com isso. Pois nem mesmo ele, seu sobrinho mais velho, foi avisado do parinirvana antes do fim do prazo. Khenpo Tsering Gyatso entrou em contato no fim, avisando do ocorrido e se desculpando por não ter avisado antes, pois não podia faze-lo devido às instruções deixadas por Khenchen. Ele precisava manter o samaya com seu Guru. Khenpo Ngawang tamém não foi avisado, e depois, quando soube, agradeceu muito a todos por terem mantido a Guru Yoga; que todos deveriam continuar agindo daquela forma.

Um pouco sobre a vida de Khenchen

Khenchen Sodnam Tenpa tinha votos, desde a idade de 20 anos aproximadamente, de abrir mão da vida familiar. Milarepa, Djalu Dorje, entre outros, tinham esta mesma conduta.

Khenchen's first house

 

Nesta pequena cabana, ele viveu durante os sete primeiros anos. Alguns familiares, preocupados com a sua condição de saúde, solicitaram que ele se mudasse dali

Khenchen's second retreat house

 

Esses familiares então ofereceram uma nova casa, com cozinha além do quarto para meditação. Nesta nova casa, ele viveu até ir para Kathog.

 

Alguns anos após o parinirvana de Khenchen Tsultrim Tarchin, irmão de Khenchen Sodnam Tenpa e tio mais velho e Guru do Lama Chimed, que tinha a função de principal tutor em Kathog, Khenchen Sodnam Tenpa recebeu o convite de Kathog para assumir essa função. E esse convite foi feito de maneira bastante inusitada: sabendo que Khenchen Sodnam Tenpa era muito arisco e não afeito à vida em comunidade, mestres de Kathog foram até a casa dele no meio da noite e montaram acampamento ali para que pudessem fazer a ele o convite pela manhã, sem que ele pudesse se esquivar! Assim, na manhã seguinte, fizeram oferendas de katags e colocaram que, se ele não aceitasse o convite, a universidade de Kathog seria fechada. Assim, nessa casa que vemos ao lado, ele viveu por aproximadamente 30 anos.

 

Quando ele decidiu finalizar suas atividades nesta vida, deixou instruções pessoais para as centenas de khenpos na Universidade de Kathog acerca da manutenção da linhagem.

 

 

Tendo deixado essas instruções, retornou para a sua velha casa no vale de Nyag Rong. Alguns meses após esse retorno, passou ao parinirvana

 

Conselhos para um praticante do Dharma último

Nas imagens abaixo, os conselhos manuscritos deixados por Khen Rinpoche e já disponibilizados no alfabeto Sambhota.

  

  

  

 

E aqui estão as imagens dos textos dos conselhos manuscritos originais de Khen Rinpoche encontrados no seu zen amarelo:

 

 

 

Algumas Imagens do Naljorpa Kathog Khenchen Sodnam Tenpa

           

       

 

       

Fonte – www.shiwagonpa.org

Compartilhe isto
Gesar 2
Nos bastidores com o Tharbi (atendente de tio Thodrug), dakinis e tio Thodrug
Gesar 11
Tharbi anuncia à cidade de Ling que o tio Thodrug teve um sonho com Hayagriwa e que uma assembleia deveria ser convocada
Gesar 6
Sinais auspiciosos no momento em que Tharbi convocava a assembleia dos altos dignatários da cidade de Ling.
Gesar 12
Generais, o primeiro-ministro Chipon e Thodrug cavalgam rumo à assembleia convocada por Tharbi
gesar 14
A comitiva chega à Ling e toma os seus assentos
Gesar 1
Tio Thodrug orgulhosamente narra o sonho com Hayagriwa em que este pondera ser o momento de Ling tornar-se gloriosa após a ascensão ao trono do vencedor de uma corrida de cavalos.
Gesar 4
Generais de Ling discutem como deverá ser realizada a corrida de cavalos
Gesar 5
Tharbi (Lama Chimed Rigdzin) com katak, durante a assembleia de Ling
gesar 16
A jovem Drummo apresenta os cavaleiros de Ling
gesar 15
Tio Thodrug conta belas histórias para distrair o Djori e favorecer o seu filho Nyatsa na corrida de cavalos
Gesar 8
Djori encontra o corcunda Kuru e dele recebe a sua flecha de tesouro após salvá-lo da areia movediça.
Gesar 10
Gesar casa-se com Drummo (à esquerda dele), na presença de sua mãe.
gesar 18
As moças mais preciosas de Ling, emanações de dakinis, fazem oferenda de música e dança ao novo rei.
gesar 19
Dakinis fazem oferendas ao rei Gesar de Ling
gesar 20
Todos os atores e atrizes reunidos! Alegria! Vida longa ao Lama Chimed Rigdzin!
Compartilhe isto